Dinâmicas de Identidade e Valores
Eu sou alguém

Objetivo: Perceber os valores pessoais; perceber-se como ser único e diferente dos demais.

Material necessário: Folhas de papel e lápis.

Descrição da dinâmica:

1. Em círculo, sentados;
2. Distribuir uma folha para cada um, pedindo que liste no mínimo dez características próprias. Dar tempo;
3. Solicitar que virem a folha, dividam-na ao meio e classifiquem as características listadas, colocando de um lado as que facilitam sua vida e do outro as que dificultam. Dar tempo;
4. Em subgrupos, partilhar as próprias conclusões;
5. Em plenário: - Qual o lado que pesou mais? - O que descobriu sobre você mesmo, realizando a atividade?

Material necessário:

1. A consciência de si mesmo constitui-se no ponto inicial para cada um se conscientizar do que lhe é próprio e das suas características. Com este trabalho é possível ajudar aos participantes a se perceberem, permitindo-lhes a reflexão e a expressão dos sentimentos referentes a si próprios;
2. Deve ser utilizada em grupos menores, cerca de 20 participantes.


Fonte: “Dinâmica de Grupos na Formação de Lideranças” - Ana Maria Gonçalves e Susan Chiode Perpétuo, editora DPeA.

Dinâmicas de Identidade e Valores
Marcas do que eu sou

a) Pedir para o grupo fazer uma caminhada pela sala e ir imaginando como é a vida em uma floresta. Como funciona a floresta. Que tipos de vida identificamos na floresta.

b) Pedir para cada um imaginar como são os animais que vivem na floresta.

c) Motivar para que cada um(a) vá se concentrando em apenas um animal. Imaginando suas características, a forma como ele vive na floresta, como reage ao ataque do predador etc.

d) Pedir para que cada um pare por um instante vá incorporando o jeito do animal que escolheu, procurando ser fiel na sua forma de caracterizá-lo.

e) O(a) assessor(a) deixou os participantes vivenciarem por um instante os animais escolhidos. Em seguida diz que em toda floresta tem um predador, um caçador que ataca ou persegue um determinado animal. Dizer para cada um assumir seu papel.

f) O(a) assessor(a) motiva para a simulação ainda de outras situações que acontecem na floresta, como por exemplo: uma forte tempestade, uma grande seca, uma longa noite, estimulando aos participantes para vivenciarem estas realidades.

g) Feito isso o assessor pede a cada participante para escreverem em seu caderno os seguintes passos:

h) Descrever qual é a personalidade do animal escolhido que ele pessoalmente escolheu e encarnou; destacando as reações, comportamento (o que é bom e o que não é tão bom);

i) Pedir para fazerem uma comparação, tentando perceber as semelhanças da personalidade do animal e com a sua personalidade.

j) Encontra-se por grupos para partilharem as descobertas feitas.

k) No plenário final o(a) assessor(a) amplia a reflexão sobre a personalidade humana pontuando as diferenças, a interação nas relações e outros aspectos.


Equipe da Casa da Juventude Pe. Burnier,
CAJU, Goiânia, GO.
Subsídio de Apoio da Escola de Educadores de Adolescentes e Jovens.
Site: http://www.casadajuventude.org.br/

Dinâmicas de Integração e Comunicação

A construção coletiva do rosto

a) Orientar os participantes para sentarem em círculo;

b) O assessor distribui para cada participante uma folha de papel sulfite e um giz de cera;

c) Em seguida orienta para desenhar o seguinte:

- uma sobrancelha somente;
- passar a folha de papel para as pessoas da direita e pegar a folha da esquerda;
- desenhar a outra sobrancelha na folha que este recebeu;
- passar novamente;
- desenhar um olho;
- passar novamente;
- desenhar outro olho;
- passar a direita e... completar todo o rosto com cada pessoa colocando uma parte (boca, nariz, queixo, orelhas, cabelos).

d) Quando terminar o rosto pedir à pessoa para contemplar o desenho;

e) Orientar para dar personalidade ao desenho final colocando nele seus traços pessoais;

f) Pedir ao grupo para dizer que sentimentos vieram em mente.

Conversando com meu corpo

Objetivo: Aprofundar a relação com o próprio corpo; fortalecer a auto-estima.

Material: gravador ou toca-cd.

Desenvolvimento:

1) Grupo espalhado pela sala, deitado. Pôr música suave.

2) Relaxar todo o corpo no chão. Permanecer em silêncio e de olhos fechados.

3) Sentir cada parte do corpo à medida que o facilitador as enumera. O facilitador deve nomear as partes do corpo, começando pela cabeça, indo até os pés, solicitando que os participantes façam contato com as mesmas e relaxem. Tempo.

4) Identificar as partes de que mais gosta e as de que menos gosta.

5) Enviar uma mensagem positiva à parte do corpo de que mais gosta.

6) Enviar uma mensagem positiva à parte do corpo de que menos gosta.

7) Lentamente, começar a movimentar-se, até espreguiçar.

8) Abrir os olhos e sentar em círculo.

9) Plenário - compartilhar com o grupo os sentimentos vividos:

• Como cada um está se sentindo?
• Qual o sentimento mais forte que você vivenciou durante a dinâmica?
• O que lhe chamou a atenção sobre si mesmo?


DINAMICAS DE ESPIRITUALIDADE


A PALAVRA QUE TRANFORMA

OBJETIVO : Fazer o grupo refletir de que forma assimilamos a PALAVRA DE DEUS em nossas vidas.

MATERIAL : um bolinha de isopor, um giz, um vidrinho de remédio vazio, uma esoponja e uma vazilha com água.

DESENVOLVIMENTO :
• Explicar que a água é a Palavra de Deus e os objetos somos nós.
• Dê um objeto para cada pessoa.
• Colocar 1º a bolinha de isopor na água.
• Refletir : o isopor não afunda e nem absorve a água. Como nós absorvemos a Palavra de Deus ? Somos também impermeáveis ?
• Mergulhar o giz na água.
• Refletir : o giz retém a água só para si, sem repartir. E nós?
• Encher de água o vidrinho de remédio. Despejar toda toda a água que ele se encheu.
• Refletir : o vidrinho tinha água só para passar para os outros, mas sem guardar nada para si mesmo. E nós ?
• Mergulhar a esponja e espremer a água.
• Refletir: a esponja absorve bem a água e mesmo espremendo ela continua molhada.

ILUMINAÇÃO BÍBLICA : Is 40,8 ; Mt 7,24 ; 2Tm 3,16


TESTEMUNHO DE FÉ

OBJETIVO : Mostrar que a fé (e o crescimento nela) é profundamente social.

MATERIAL : Uma bíblia para cada grupo.

DESENVOLVIMENTO : O animador orienta os participantes : Na nossa vida cotidiana, nos encontramos constatemente com pessoas que exercem uma influência grande sobre a nossa vida. Esta influência tanto pode ser positiva como negativa. o que se deve fazer diante da consciência desse fato?
Depois disso, cada um, em particular, identifica entre seus amigos, vizinhos, parentes : quantos realmente crêem? Quantos são católicos não praticantes? quantos mudaram de religião nos últimos tempos? Quantos vivem a fé, apenas seguindo os mandamentos ao pé da letra? Ainda em particular, cada um coloca por escrito os testemunhos de fé que encontrou em sua vida. A respeito de cada testemunho de fé que encontrou, analisar as repercussões que tiveram, dentro de si, mesmo.
Em grupo de 4 pessoas, compartilhar as reflexões pessoais. Trata-se de identificar os elementos comuns. em seguida, lêem os textos : Jo 3,21 - Mt 7,21 - Tg 1,22 - Jo 9,1-38 - Lc 5,5 - Mt 15,21-28.
Aprofundar a relação entre os testemunhos escutados e os textos estudados. Tiram suas conclusões para levar à plenária.

FÉ E VIDA

OBJETIVO : Mostrar que a fé deve estar ligada com a realidade e participação da comunidade.

MATERIAL : 3 copos com água e 3 sonrisal (efervecentes).

DESENVOLVIMENTOS : O Sonrisal é a noss fé, o copo com água é a comunidade. No 1º copo colocar o sonrisal fechado no lado de fora do copo. Será que nossa fé não está igual o sonrisal, fechado e alheio à comunidade? Será que nossa fé não está alienada? No 2º copo colocar o sonrisal fechado dentro do copo. O sonrisal está na água mas não se mistura. Nós estamos dentro da Comunidade, mas será que não estamos fechados ao próximo que nos pede ajuda? Será que não vivemos uma fé individualista? Abrir um sonrisal e misturar com a água do 3º copo.O sonrisal irá se misturar com água e se tranformará em remédio. Nossa fé dever ser transformadora, inserida na comunidade, deve estar ligada à ação. "A FÉ SEM OBRAS É MORTA".

DINAMICAS DE INTEGRAÇÃO


JUVENTUDE E COMUNICAÇÃO
OBJETIVO : Criar comunicação fraterna e madura.

DESENVOLVIMENTO: distribuir aos participantes papel e convidá-los a fazer um desenho de um homem e uma mulher.

ANOTAR NA FIGURA:
Diante dos olhos : as coisas que viu e mais o impressionaram.
Diante da boca : 3 expressões (palavras, atitudes) dos quais se arrependeu ao longo da sua vida.
Diante da cabeça : 3 idéias das quais não abre mão.
Diante do coração : 3 grandes amores.
Diante das mãos : ações inesquecíveis que realizou.
Diante dos pés : piores enroscadas em que se meteu.
COLOCAR EM PLENÁRIO
- Foi fácil ou difícil esta comunicação? Porque?
- Este exercício é uma ajuda? Em que sentido?
- Em qual anotação sentiu mais dificuldade? Por que?
- Este exercício pode favorecer o diálogo entre as pessoas e o conhecimento de si mesmo?
Por que?
ILUMINAÇÃO BÍBLICA : Marcos 7, 32-37

JOGO COMUNITÁRIO

OBJETIVO : Descontrair e ao mesmo tempo ajudar a memorizar o nome dos outros participantes.

MATERIAL : uma flor.

DESENVOLVIMENTO : os participantes sentam-se em círculo e o animador tem uma flor na mão. Diz para a pessoa que está à sua esquerda : senhor... (diz o nome da pessoa), receba esta flor que o senhor...(diz o nome da pessoa da direita) lhe enviou...
E entrega a flor. A pessoa seguinte deve fazer a mesma coisa. Quem trocar ou esquecer algum nome, passará a ser chamado pelo nome de um bicho. Por exemplo, gato. Quando tiverem que se referir a ele, os seus vizinhos, em vez de dizerem seu nome, devem chamá-lo pelo nome do bicho.
O animador deve ficar atento e não deixar os participantes entediados. Quanto mais rápido se faz a entrega da flor, mais engraçado fica o jogo.


ANJO DA GUARDA

OBJETIVO : Motivar os participantes em sua caminhada de grupo, ajudar a se conhecerem melhor e conhecerem-se uns aos outros.

DESENVOLVIMENTO: A dinâmica é um pouco parecida com "amigo secreto". Se for possível, deverá acontecer durante o ano todo ou por um longo período.
Pegar os nomes dos participantes, colocar numa pequena caixa, e redistribuir aos mesmos. A pessoa não poderá pegar seu próprio nome.
Cada um será o "Anjo da Guarda" daquela pessoa que pegou. Deverá mandar mensagens de otimismo quando ela estiver desanimada, elogiar quando fizer alguma coisa boa, ou criticar quando a mesma estiver atrapalhando a caminhada do grupo.
O Anjo da Guarda não deverá revelar o seu verdadeiro nome. Usará um pseudônimo ou apelido. Deverá ter uma caixa onde todos colocarão suas mensagens para serem distribuídas no final de cada encontro. Depois de um tempo definido pelo grupo deverá acontecer a revelação dos anjos. Depois poderá fazer um novo sorteio.

DINAMICAS DE ORGANIZAÇÃO

PAINEL INTEGRADO

OBJETIVO: Trabalhar no "grupão" em equipes de forma prática, desenvolvendo a comunicação e reflexão dispensando o plenário e a centralização do encontro numa só pessoa.

DESENVOLVIMENTO :
Dividir o grupão em equipes da seguinte forma :
• Num grupo com 16 pessoas, poderá dividir em 4 equipes de 4 pessoas.
• Cada participante da equipe receberá uma letra: a, b, c, d
• As equipes receberão o tema a ser debatido e perguntas propostas.
• Após terem refletido sobre o tema serão formadas novas equipes.
• Os que tiverem a letra "a" formarão uma nova equipe. O mesmo acontecerá com os que tiverem a letra b, c, d.
• Agora todos partilharão o que foi debatido nas equipes anteriores.
• No final da dinâmica todos os participantes deverão ter tomado conhecimento de todas as reflexões feitas.


EU E MEU GRUPO

OBJETIVO : Avaliar o grupo e a contribuição de cada um de seus membros.

DESENVOLVIMENTO : Cada um responde em particular às perguntas:
• que me agrada no grupo?
• que não me agrada?
• que recebo dele? o que deixaria de ganhar se ele se acabasse?
• que recebo de cada pessoa?
• que ofereço ao grupo?
• qual foi a maior tristeza?
Cada um responde o que escreveu. É importante ressaltar que não se trata de discutir em profundidade mas principalmente de se escuterem reciprocamente. Depoi de ouvir todo mundo, fazer uma discussão do que fazer para que o grupo melhore.

QUEBRA-CABEÇA

OBJETIVO : questionar no gruo se os encontros estão ou não sendo monopolizados por alguns e valorizar a participação de todos.

MATERIAL : Quebra-cabeças conforme a quantidade de equipes, com figuras que falem sobre união e participação de todos.

DESENVOLVIMENTO : dividir o grupo em equipes. Distribuir para cada equipe um quebra-cabeça. Antes você deverá trocar uma peça de cada quebra-cabeça. Cada equipe deverá ter um observador que irá anotar o comportamento dos participantes. Depois discutir na equipe:
• Houve a participação de todos?
• Alguém monopolizou? Alguém ficou de fora? Por que?
• Foi sentido a falta da peça? Alguém foi procurar a peça?
• O que a dinâmica e a figura tem a ver com o nosso grupo?
Poderão ser elaboradas outras perguntas, conforme a necessidade do grupo.

OUTRAS DINAMICAS

TROCA – TROCA

OBJETIVO : sentir a realidade do outro. Concientizar de que somos diferentes uns dos outros.

MATERIAL : caixas de papelão ou sacos plásticos.

DESENVOLVIMENTO :
• Se o grupo for grande dividir em equipes
• Deixar em cada equipe uma caixa de papelão
• Pedir aos participantes tirarem seus sapatos e colocarem na caixa
• Ao sinal todos deverão colocar os sapatos novamente o mais rápido possível para sentir-se bem dentro de sua realidade
• Após 1 minuto, parar para avaliar o resultado
• Num 2º momento, recolher os sapatos e distribuí-los aos participantes, de tal modo que ninguém fique com os seus próprios sapatos.
• Ao sinal todos deverão colocar os sapatos do colega para sentir a realidade do próximo.
• Avaliar os últimos resultados, comparando-os com o 1º
ILUMINAÇÃO BÍBLICA : Rm 12,15

DESENHO DOS PÉS

OBJETIVO : Socializar, integrar, perceber a necessidade de assumir compromissos, crescer, valorizar-se

MATERIAL : uma grande folha de papael e lápis colorido para cada participante.

DESENVOLVIMENTO : O animador motiva os participantes a desenharem num grande papel o próprio pé. Em seguida, encaminha a discussão, de forma que todos os participantes tenham oportunidade de dizer o que pensam.
Todos os pés são iguais?
Estes pés caminham muito ou pouco?
Por que precisam caminhar?
Caminham sempre com um determinado objetivo?
Quanto já caminhamos, lembrar de pessoas que lutaram por objetivos concretos e conseguiram alcançá-los.
Terminada a discussão, o animador convida a todos que escrevam no pé que desenharam algum compromisso concreto que irão assumir.


A COLAGEM

OBJETIVO : Comunicar uma mensagem ou o resultado de uma reflexão de forma criativa, usando revistas, jornais, etc.

MATERIAL : Papelógrafo, revistas, jornais, tesoura, cola, pincel atômico, etc...

DESENVOLVIMENTO : O animador explica o que é a colagem: é um cartaz feito por diversas pesoas, com recortes, fotos, ou outros, para comunicar o que pensam estas pessoas sobre determinado tema. O grupo de 5 a 8 pessoas discutem o tema. buscam fotos, recortes, letras de jornais e outros para expressar o que discutiram. Colam tudo num papelógrafo. As deferentes colagens são apresentadas em plenária e desctese o que cada colagem quis dizer. As pessoas que fizeram a colagem podem complementar as interpretações, se for preciso.

1 - JUVENTUDE E COMUNICAÇÃO
Objetivo : Criar comunicação fraterna e madura.
Desenvolvimento: distribuir aos participantes papel e convidá-los a fazer um desenho de um homem e uma mulher.
Anotar na figura:
Diante dos olhos : as coisas que viu e mais o impressionaram.
Diante da boca : 3 expressões (palavras, atitudes) dos quais se arrependeu ao longo da sua vida.
Diante da cabeça : 3 idéias das quais não abre mão.
Diante do coração : 3 grandes amores.
Diante das mãos : ações inesquecíveis que realizou.
Diante dos pés : piores enroscadas em que se meteu.
Colocar em plenário
- Foi fácil ou difícil esta comunicação? Porque?
- Este exercício é uma ajuda? Em que sentido?
- Em qual anotação sentiu mais dificuldade? Por que?
- Este exercício pode favorecer o diálogo entre as pessoas e o conhecimento de si mesmo? Por que?
Iluminação bíblica : Marcos 7, 32-37


2 - JOGO COMUNITÁRIO

OBJETIVO : Descontrair e ao mesmo tempo ajudar a memorizar o nome dos outros participantes.
MATERIAL : uma flor.

DESENVOLVIMENTO : os participantes sentam-se em círculo e o animador tem uma flor na mão. Diz para a pessoa que está à sua esquerda : senhor... (diz o nome da pessoa), receba esta flor que o senhor...(diz o nome da pessoa da direita) lhe enviou...
E entrega a flor. A pessoa seguinte deve fazer a mesma coisa. Quem trocar ou esquecer algum nome, passará a ser chamado pelo nome de um bicho. Por exemplo, gato. Quando tiverem que se referir a ele, os seus vizinhos, em vez de dizerem seu nome, devem chamá-lo pelo nome do bicho.
O animador deve ficar atento e não deixar os participantes entediados. Quanto mais rápido se faz a entrega da flor, mais engraçado fica o jogo.

3 - ANJO DA GUARDA
OBJETIVO : Motivar os participantes em sua caminhada de grupo, ajudar a se conhecerem melhor e conhecerem-se uns aos outros.
DESENVOLVIMENTO: A dinâmica é um pouco parecida com "amigo secreto". Se for possível, deverá acontecer durante o ano todo ou por um longo período.
Pegar os nomes dos participantes, colocar numa pequena caixa, e redistribuir aos mesmos. A pessoa não poderá pegar seu próprio nome.
Cada um será o "Anjo da Guarda" daquela pessoa que pegou. Deverá mandar mensagens de otimismo quando ela estiver desanimada, elogiar quando fizer alguma coisa boa, ou criticar quando a mesma estiver atrapalhando a caminhada do grupo.
O Anjo da Guarda não deverá revelar o seu verdadeiro nome. Usará um pseudônimo ou apelido. Deverá ter uma caixa onde todos colocarão suas mensagens para serem distribuídas no final de cada encontro. Depois de um tempo definido pelo grupo deverá acontecer a revelação dos anjos. Depois poderá fazer um novo sorteio.

COMUNICAÇÃO

DENTRO E FORA

Objetivo: Conseguir uma comunicação profunda
Para quantas pessoas: Grupos de 8 a 10 pessoas
Material necessário: Crachás com escritos: “de dentro” e “de fora” para repartir nos grupos.

Descrição da Dinâmica: O coordenador da dinâmica começa com uma motivação sobre a importância da comunicação, os níveis de manifestação da personalidade, etc.
Em seguida, forma-se grupos de 8 a 10 pessoas. A metade do grupo recebe o número 1 e a outra metade, o número 2. Os números 1 serão os de dentro e os 2 serão os de fora.
Durante 45 minutos os de dentro falarão sobre “ que imagem tem de mim mesmo”. Enquanto isso, os de fora devem escutar com atenção.
Depois, dá-se 45 minutos para que os de fora falam sobre “que imagem creio que os demais tem de mim” e os de dentro escutem com carinho.
Depois, separa-se os de dentro dos de fora e nestes sub-grupos e, durante 20 minutos, analisem as dificuldades que tiveram para falar e como perceberam a manifestação do outro sub-grupo e de cada uma das pessoas.
Reúnem-se novamente os de dentro e os de fora para comentar o que conversaram nos sub-grupos.
Em plenária, todos os grupos falam sobre a experiência como um todo, mas não sobre as manifestações pessoais realizadas em grupo.


AVALIAÇÃO

CARTA D E DESPEDIDA

Objetivo: Avaliar o momento concreto que está sendo vivido pelo grupo através da verbalização das emoções.
Para quantas pessoas: Cerca de 15 pessoas
Material necessário: Papel e caneta para cada um.
Descrição da dinâmica: Cada participante escreverá numa folha uma carta de despedida do grupo. Nessa carta, deve comentar o como está se sentindo em relação ao grupo, o que está sendo o mais importante, se estava gostando ou não, do que estava gostando ou não, do que não estava gostando, se vai sentir saudade... por quê? E o que mais quiser acrescentar. Depois, as cartas são lidas em voz alta, pela própria pessoa que escreveu ou então, trocando-se os leitores. Lida todas as cartas, pode-se conversar sobre o rumo que se deve dar ao grupo para resolver o problema que se está enfrentando.

APRESENTAÇÃO

CAÇA TESOURO

Objetivo: Ajudar as pessoas a memorizarem os nomes uma das outra, desinibir, facilitar a identificação entre pessoas parecidas.
Para quantas pessoas: Cerca de 20 pessoas. Se for um grupo maior, é necessário aumentar o número de questões propostas.
Material necessário: Uma folha com o questionário e um lápis ou caneta para cada um.
Descrição para dinâmica: O coordenador explica aos participantes que agora se inicia um momento em que todos terão a grande chance de se conhecerem. A partir da lista de descrições, cada um deve encontrar uma pessoa que se encaixe em cada item e pedir a ela que assine o nome na lacuna.

1- Alguém com a mesma cor de olhos que os seus: ____________________________
2- Alguém que viva numa casa sem fumantes________________________________
3- Alguém que já tenha morado em outra cidade______________________________
4- Alguém cujo primeiro nome tenha mais de seis letras________________________
5- Alguém que use óculos________________________________________________
6- Alguém que esteja com a camiseta da mesma cor que a sua___________________
7- Alguém que goste de verde-abacate______________________________________
8- Alguém que tenha a mesma idade que você________________________________
9- Alguém que esteja de meias azuis_______________________________________
10- Alguém que tenha um animal de estimação (Qual?)________________________.
Obs: Pode-se aumentar a quantidade de questões ou reformular estas, depende do tipo ou do tamanho do grupo.

 


Irmãs de Santa Ana • Todos os Direitos Reservados
Rua Madre Henriqueta Dominici, 998 • Jd. Monte Belo • Londrina-Pr
Fones: (43) 3341-0137 ou 3341-1490 * webdesign: Irmã Márcia Regina